terça-feira, 14 de maio de 2019

Melhor lidar com pessoas ácidas e honestas do que com pessoas doces e hipócritas

Pode demorar para conhecermos realmente a índole de alguém, pode levar muito tempo, porém, nunca será tarde demais para que consigamos nos proteger.

Existem vários tipos de pessoas com quem conviveremos, ao longo de nossas vidas, no trabalho, nas redes sociais, na vida por aí. Pessoas com personalidades diferentes umas das outras, cada uma delas peculiar e única em suas características próprias. Termos o cuidado de manter por perto quem é sincero será um dos maiores favores que faremos a nós mesmos.

Não é fácil, infelizmente, saber em quem podemos confiar, desde o início, uma vez que máscaras costumam ser usadas durante os relacionamentos, de acordo com os interesses de cada um, de acordo com o quanto a pessoa pensa em si mesma e no outro. Pode demorar para conhecermos realmente a índole de alguém, pode levar muito tempo, porém, nunca será tarde demais para que consigamos nos proteger.

Muitos de nós costumamos confundir leveza com sinceridade e acidez com falsidade, erroneamente. Nem sempre as boas intenções se revestem de um verniz doce e calmo.

Nem sempre a falsidade se atrela a um comportamento mais áspero e firme. Na verdade, a gente não conhece de fato as pessoas, mas apenas parte delas que nos são permitidas, de acordo com o que elas querem. E nem sempre o que elas querem nos faz bem.

As decepções serão invitáveis, onde e com quem estivermos. Perdoar será preciso, mas até o limite máximo de nossa dignidade. Teremos que tentar entender o outro, compreendendo que ele tem as próprias histórias, as próprias escuridões, uma luta interna que desconhecemos. Mesmo assim, o sofrimento alheio não poderá morar em nós demoradamente, a ponto de nos fazer mal. Tentar ajudar é necessário, porém, sem tomar como nossas as tempestades que o outro criou.

Por isso é que, muitas vezes, mesmo que não sejam simpáticas demais, será bem melhor lidar com pessoas transparentes, porque então saberemos que terreno pisamos. Ruim é pisar ovos, andar em areia movediça, enquanto não se percebe a crueldade por trás da doçura no tom de voz de certas pessoas.

O que nos protegerá, afinal, será a honestidade, tanto a nossa quanto a do outro. Sempre.


Fonte: Marcel Camargo • 23 de novembro de 2018 - Site O Segredo

terça-feira, 7 de maio de 2019

A FÁBULA DO BURRO!

Um dia, o burro de um camponês caiu num poço. Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria. Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto o camponês pensava no que fazer.

Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: concluiu que já que o burro estava muito velho e que o poço estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma. Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o burro de dentro do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar vivo o burro. Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço.

O burro não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele e chorou desesperadamente. Porém, para surpresa de todos, o burro aquietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou.

O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu com o que viu. A cada pá de terra que caía sobre suas costas o burro a sacudia, dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em pouco tempo, todos viram como o burro conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima da borda e sair dali trotando.

A vida vai lhe jogar muita terra nas costas. Principalmente se já estiver dentro de um poço. O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar um passo sobre ela. Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima. Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. Use a terra que lhe jogam para seguir adiante!

Recorde-se das 5 regras para ser feliz:

1. Liberte o seu coração do ódio.

2. Liberte a sua mente das preocupações.

3. Simplifique a sua vida.

4. Dê mais e espere menos.

5. Ame-se mais e...aceite a terra que lhe jogam. Ela pode ser a solução, não o problema.


autor: desconhecido

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Maturidade Espiritual É Quando Você Aprende A Calar, A Se Afastar, Não Se Queixa E Agradece Pelo Que Tem

Maturidade espiritual é quando você aceita que erra, aprende a se desculpar e a não jogar no colo do outro o que é seu.

É quando você percebe que já não precisa de tanta coisa assim para suprir suas necessidades, que estar em paz consigo mesmo (a) é melhor do que provocar instigar ou cutucar o outro com vara curta a troco de nada, a troco de mexer em feridas por vezes já cicatrizadas.

É quando você passa a ser mais seletivo (a) internamente, é quando você sabe que pode contar com poucos, mas que são essenciais e que mantém uma boa relação de amizade e empatia sem exigir nada em troca.

É quando você olha mais à volta e se coloca no lugar das pessoas e não mensura a sua dor, assim como não quer que mensurem as suas. É quando você não interfere nas escolhas de ninguém e vai aprendendo a digerir os embates da vida com mais nitidez e resiliência.

É quando você percebe que não precisa ter a casa cheia, não precisa de tanto barulho, que estar a sós é como ir se retratando diante do que se sente, do que sentiu ou do que não quer mais sentir.

É não precisar ir de um lado para o outro tentando encontrar sossego interior. É quando você se aprimora e abstrai o que não precisa, pede com mais fé e acredita mais no divino e não em falsas promessas ou pessoas que não tem serventia por serem apenas instrumentos prontos a desestabilizar seu coração, prontas a quererem se apossar do que não lhes pertence a troco de fazê-lo(a) sofrer.

É quando você ora, pede pelos que precisam, pede pelos que adoecem a alma, pede para que todos recebam luz por mais que não se queira aproximação.

É quando você esvazia a bagagem, percebe que andar descalço por vezes é libertador e que se o sol não apareceu naquele dia mais nublado, você continuará acreditando em dias melhores e nas possibilidades de superação e cura.

Maturidade espiritual é quando você aprende a calar, a se afastar, a não se agredir e não agredir.

É quando você sente que a porta do céu é melhor que abrir o chão para que você se afunde em dor ou discórdia.

A maturidade vem com os altos e baixos com o entender nas entrelinhas. Com a sensação de que não existe superioridade e sim a humildade de quem precisa manter o olhar atento, os sentimentos honestos e a obrigação de cuidar melhor de si mesmo (a), para que você tenha força para socorrer aos que também precisam de auxílio.

A maturidade espiritual vem quando você não precisa viver de melindres, não precisa disfarçar o que é, quando você aceita a própria condição, seja ela qual for, sabendo dos propósitos de Deus.

É quando você abre a porta, não procura discórdia, não se queixa e agradece pelo que tem.


FONTE: www.portalraizes.com

AUTOR: Sil Guidorizzi - Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me á tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim. http://reginaguidorizzi.blogspot.com/

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Pra viver melhor...

Pra viver melhor...
Não se preocupe, se ocupe.
Ocupe seu tempo, ocupe seu espaço, ocupe sua mente.
Não se desespere, espere.
Espere a poeira baixar, espere o tempo passar, espere a raiva desmanchar.
Não se indisponha, disponha.
Disponha boas palavras, disponha boas vibrações, disponha sempre.
Não se canse, descanse.
Descanse sua mente, descanse suas pernas, descanse de tudo.
Não menospreze, preze.
Preze por qualidade, preze por valores, preze por virtudes.
Não se incomode, acomode
Acomode seu corpo, acomode seu espirito, acomode sua vida.
Não desconfie, confie.
Confie no seu sexto sentido, confie em você, confie em Deus.
Não se torture, ature.
Ature com paciência, ature com resignação, ature com tolerância.
Não pressione, impressione.
Impressione pela humildade, impressione pela simplicidade, impressione pela elegância.
Não crie discórdia, crie concórdia.
Concórdia entre nações, concórdia entre pessoas, concórdia pessoal.
Não maltrate, trate bem.
Trate bem as pessoas, trate bem os animais, trate bem o planeta.
Não se sobrecarregue, recarregue.
Recarregue suas forças, recarregue sua coragem, recarregue sua esperança.
Não atrapalhe, trabalhe.
Trabalhe sua humanidade, trabalhe suas frustrações, trabalhe suas virtudes.
Não conspire, inspire.
Inspire pessoas, inspire talentos, inspire saúde.
Não se apavore, ore.
Ore a Deus, ore aos santos, ore às forças e as energias.
Somente assim viveremos dias melhores.
Então não perca tempo, aproveite seu tempo!

Autor: Bruno Pitanga

domingo, 5 de novembro de 2017

Por que a cada 7 anos o nosso curso de vida muda?

Os antigos romanos acreditavam que o tempo é cíclico.
Nossa percepção do tempo nos leva a acreditar que é uma progressão linear. As repetições são uma parte essencial do tempo e podemos senti-la acontecendo até mesmo dentro de nossas próprias vidas.

Assim como as estações, a cada sete anos nosso curso de vida registra uma mudança dramática, e nós podemos senti-la mentalmente e fisicamente:

Primeiro Ciclo (0-7 anos)

A criança é o centro de seu próprio mundo durante seus primeiros sete anos de existência. Os adultos giram em torno da criança tentando satisfazer todas as suas necessidades. A criança está explorando e é totalmente focada em si mesma.


Segundo Ciclo (7-14 anos)

O mundo é um lugar novo nesta fase. A criança começa a explorar o mundo ao seu redor. A empatia não é o seu forte. Sua curiosidade a leva até mesmo a ser destrutiva em algum nível, como quebrar seus brinquedos para ver o que há dentro.


Terceiro Ciclo (14-21 anos)

Neste período a pessoa começa a compreender melhor como o mundo funciona e isso gera uma ansiedade, inquietude e pressa para experimentar novas sensações, este é, efetivamente, o início de sua entrada na idade adulta.

Quarto Ciclo (21-28 anos)

Esta é a fase que Shakespeare em sua poesia descreveu que o estágio do ‘ Soldado ‘. Os jovens tornam-se focados em suas carreiras e ganhando poder e prestígio, mas, às vezes, essa dedicação os impedem de entrar em contato com seus sentimentos. Ambição torna-se a força motriz e as oportunidades parecem ilimitadas e cheias de potencial.


Quinto Ciclo (28-35 anos)

Esta é a fase de se estabelecer. Ela vem com aceitação de que todos os nossos desejos podem não ser possíveis de se alcançar. Há muita pressa para se aproveitar a juventude com um misto de amadurecimento e responsabilidade. As pessoas começam a procurar segurança e estabilidade e sentir-se apressadas, já que os prazeres momentâneos não servem para o mesmo propósito que antigamente.

Sexto Ciclo (35-42 anos)

Esta é a casa de recuperação da vida. De idade 35 anos em diante as pessoas começam a se estabelecer para o restante de suas vidas, já que não sentem mais a mesma necessidade de antes de correr atrás das coisas. As regras não são mais destinadas a serem quebradas, mas se tornam a base da sua segurança mental. As pessoas tornam-se definidas em seus ideais e qualquer questionamento que lhe causem desconforto. Nós nos tornamos convencionais por escolha.


Sétimo Ciclo (42-49 anos)

A necessidade de religião começa a infiltrar-se. Temos de começar a acreditar em poderes superiores quando, pela primeira vez, os nossos corpos começam a falhar e o declínio físico do envelhecimento começa. Cabelo fica cinza e tomar medicamentos agora torna-se uma parte da vida cotidiana. Conforme o relacionamento com o corpo torna-se mais difícil, torna-se mais importante também manter a atitude positiva e a alegria do presente.

Oitavo Ciclo (49-56 anos)

Superados os dramas das fases anteriores, a experiência e sabedoria proveniente da idade faz as pessoas encararem a vida com maior leveza e despreocupação. Percebe-se que a pressa em ser ser feliz na juventude é superestimada. O corpo já não é mais o mesmo, mas isso não importa, desde que haja saúde e hábitos saudáveis, há uma independência financeira e de filhos para se desfrutar em seu próprio tempo.

Nono Ciclo (56-63 anos)

Este é como uma segunda infância. Começamos a perder o interesse no mundo e nas pessoas ao nosso redor. Não importa o quanto você poderia ter dito a si mesmo que, mesmo como uma pessoa idosa, você seria ‘atualizado’. Aprender novas coisas pode ser mais difícil neste ciclo, mas entenda que isso não é impossível. Ainda há espaços para melhorar.


O ciclo final (63 em diante)

Finalmente chegamos à idade em que podemos perceber como a vida é frágil e sentimos mais gratidão pelo que construímos, bem como os arrependimentos das chances que deixamos passar. A vida chegou ao círculo completo.


fonte: O Segredo

outras referências sobre mesmo tema VitaDenariumConsultoria

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

O que a vida ensinou ou não ensinou a Charles Chaplin

Qual texto atribuído a Charles Chaplin é o verdadeiro? Ambos? Nenhum? Ajude-nos a saber:

A VIDA ME ENSINOU
A VIDA NÃO ME ENSINOU
A vida me ensinou...

a dizer adeus às pessoas que amo, sem tira-las do meu coração

Sorrir às pessoas que não gostam de mim, para mostra-las que sou diferente do que elas pensam

Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, para que eu possa acreditar que tudo vai mudar

Calar-me para ouvir e aprender com meus erros, afinal eu posso ser sempre melhor.

A lutar contra as injustiças

Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo

A ser forte quando os que amo estão com problemas

Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho

Ouvir a todos que só precisam desabafar

Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos

Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão

Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor

A alegrar a quem precisa

A pedir perdão

A sonhar acordado

A acordar para a realidade

A aproveitar cada instante de felicidade

A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar

Me ensinou a ter olhos para “ver e ouvir estrelas”, embora nem sempre consiga entendê-las

A ver o encanto do pôr-do-sol

A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser

A abrir minhas janelas para o amor

A não temer o futuro

Me ensinou e esta me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesmo tenho que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher.


A vida não me ensinou...

a dizer adeus às pessoas que eu amo.

A sorrir dos meus desafetos.

A fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade.

A aceitar gratuitamente agressões.

A calar-me frente a violência de qualquer tipo.

A aceitar meus erros como inerentes a qualquer ser humano.

A sorrir quando meu desejo é gritar todas as minhas dores e as dores do mundo.

A ficar alienado diante dos problemas sociais.

A ser hipócrita.

A amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de todas as suas frustrações e desamor.

A ficar em cima do muro.

A fechar meus olhos às injustiças.

A não sentir a lágrima que corre pela minha face diante da dor de alguém que amamos.

A perdoar incondicionalmente.

Tudo isso a vida não me ensinou…

Mas a vida me ensinou:

Algum amor, e que posso amar muito mais.

Algumas alegrias.

Algumas belezas.

Um pouco de poesia.

Ensinou-me algumas vezes a perdoar.

Outras vezes a pedir perdão.

A vida me ensinou a sonhar acordada.

A acordar para a realidade.

A aproveitar cada minuto de felicidade.

Ensinou-me que é bom ter e chorar de saudade.

Ensinou-me a maravilha que é enxergar, ver e ouvir as estrelas.

A ver o encanto dos poentes.

A abrir minha janela para o mar.

A ver… perceber as belas paisagens.

Ensinou-me a não ter medo do futuro.

E a viver intensamente o presente.

Como um presente que por ELE me é dado.

Como um diamante a ser por mim lapidado, a lhe dar forma da maneira que eu escolher.

A vida me ensinou a sua essência:

Que o AMOR é o que dignifica, dá sentido, colorido e brilho à nossa existência.
autor: Charles Chaplin

postado por: Refugio da Ana
autor: Charles Chaplin

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

A “pessoa certa” não vem com uma plaquinha escrita: Ei, sou eu!

Esse lance da tal pessoa certa é complicado, muita gente confunde certo com perfeito, muita gente confunde certo com ideal e, como consequência, acaba se frustrando, porque não encontra “ninguém”.

Primeiro você precisa parar de se cegar com as suas idealizações, e isso não tem nada a ver com aceitar qualquer coisa. Isso tem a ver com apreciar o novo.

Isso está mais para “permita-se afinal”: o novo é bonito e não assustador como parece. Acredite, alguns acham que o amor é uma poltrona confortável na qual você senta e assiste tudo acontecer de camarote, como quem não precisa dar um passo à frente. Outros acham que o amor é um campo de batalhas no qual quem ganha é sempre quem demonstra menos. A tal da lei do desapego.

Repare bem em quem elogia o teu sorriso mais sincero, em quem aplaude as tuas conquistas. Repare em quem te quer bem, em quem se alegra com a tua companhia e faz questão da sua presença. Veja bem quem quer estar ao seu lado e faz questão de sempre estar por perto. Não deixe de notar quem se importa com os seus sentimentos e com os seus problemas.

Repare em quem arruma um tempo pra te dizer “oi” em quem te liga pra saber se você está bem. Repare em quem confia em você e se oferece como apoio quando tudo parece não ir bem. Repare em quem acha bonito o teu jeito desorganizado, repara em quem está disposto a te segurar, caso você tropece. Em quem te olha como quem quer despir tua alma, em quem quer te conquistar com as pequenas coisas.

Repare em quem demonstra amor nos pequenos detalhes. Repare em quem gosta do teu cabelo e do teu jeito bagunçado de ser. Repare em quem ri das tuas graças sem graças, em quem te procura não porque postou uma foto bonita, mas porque sentiu saudade. Então, o “certo” pode estar aí, naquilo que vem desconcertado, naquilo que vem desajeitado procurando uma oportunidade de se ajeitar. Naquilo que você não consegue ver por estar com os olhos tapados, por olhar demais para trás e não conseguir olhar para o que está bem a sua frente.

Veja bem quem se interessa por você, quem arruma tempo pra um papo qualquer mesmo que o assunto pareça não andar. Veja quem arruma um jeito e não desculpas, quem traz flores e não espinhos. Repare em quem gosta de você do jeito que você é. Em quem se amarra no seu desarrumado.

Repare bem em quem te incentiva a ser melhor, em quem te apoia e te ajuda, repara bem porque o amor pode estar aí disfarçado de amizade, tentando se esconder de um “não”, tentando não parecer um bobo apaixonado. Repare bem porque a pessoa certa não vem com uma plaquinha escrita: “Ei, sou eu!”. Ela vem com um coração disposto a te amar. Disposto a transbordar.

fonte: www.contioutra.com apud Thamilly Rozendo

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

COISAS QUE DEVEM SER MANTIDAS EM SEGREDO

A primeira coisa que não é necessário você divulgar, são seus planos para o futuro. Evite falar sobre eles até que se realizem. Nenhum de nossos projetos é perfeito, na verdade eles possuem vários pontos fracos por meio dos quais podem ser facilmente destruídos.

"Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita;
Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente - Mateus 6:3,4"

Em segundo lugar, você não deve compartilhar o mistério da sua solidariedade. Um ato bondoso é algo extraordinário neste mundo, e justamente por isso você deve guardá-lo como seu tesouro mais valioso. Não se vanglorie por suas boas ações. Esse tipo de atitude pode levar rapidamente à arrogância, e esta não é a melhor característica que você pode ter. Concorda?

"Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus.
Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão - Mateus 6:1,2"

Em terceiro lugar, não é preciso demonstrar a todo mundo sua austeridade. Não comente por aí sobre suas restrições alimentares, dificuldades no sono, nas relações sexuais, etc. A austeridade física traz benefícios apenas se está em harmonia com seu lado emocional.

Em quarto lugar, não é necessário falar sobre sua coragem e heroísmo. Todos nós enfrentamos diferentes testes a cada dia. Alguns encaram testes externos, enquanto outros, testes internos. As provas externas são visíveis, e por isso as pessoas são recompensadas, mas ninguém se dá conta da superação das provas internas. Por isso ninguém recebe recompensas por elas.

Em quinto lugar, não vale a pena divulgar seu conhecimento espiritual. Ele é somente seu e não há porque dividi-lo com ninguém. Revele-o a outros apenas se for realmente necessário, não somente para você, mas também para os outros.

Em sexto lugar, e em especial, o que você não deve compartilhar com outras pessoas são seus conflitos domésticos e vida familiar. Lembre-se: quanto menos você falar dos problemas da sua família, mais forte e estável ela será. As discussões servem para que você se desfaça da energia negativa que acumulou no processo do diálogo. Quanto mais você falar de seus problemas, mais acreditará neles.

Em sétimo lugar, não vale a pena falar das palavras ruins que você ouviu de alguém durante sua jornada. A pessoa que, ao chegar em casa, conta tudo o que ouviu nas ruas não é diferente de quem chega em casa e não tira os sapatos, trazendo com eles a sujeira das ruas.


Autor: Vlacheslav Ruzov
Tradução e adaptação: Incrível.club

NÃO QUERO ALGUÉM QUE MORRA DE AMORES POR MIM

Não quero alguém que morra de amor por mim…

Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim…

Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível…

E que esse momento será inesquecível…

Só quero que meu sentimento seja valorizado.

Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre…

E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.

Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém… e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.

Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho…

Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros…

Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão… que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim… e que valeu a pena!!”

(Mário Quintana)

terça-feira, 29 de agosto de 2017

LEIS DA GRATIDÃO IMPORTANTES PARA SUA VIDA

1. Quanto mais você está em um estado de gratidão, mais vai atrair coisas pelas quais ser grato


  • Seja grato pelo que você tem, e vai acabar tendo mais.
  • Foque sobre o que você não tem, e nunca terá o suficiente.

2. Ser feliz nem sempre vai te fazer grato, mas ser grato sempre vai te fazer feliz


  • É quase impossível apreciar um momento sinceramente e olhar severamente ao mesmo tempo.
  • Ser feliz agora não significa que você não deseja mais, significa que você é grato pelo que tem e paciente para o que ainda está por vir.

3. Gratidão fomenta o verdadeiro perdão, que é quando você pode sinceramente dizer: “Obrigado por essa experiência.”


  • Não faz sentido condenar ou lamentar uma lição de vida importante.
  • Gratidão traz um sentido para o ontem, paz para o presente, e cria uma visão positiva para o amanhã.

4. Você nunca precisa mais do que tem em um dado momento


  • Tem sido dito que a mais elevada forma de oração é dar graças. Em vez de orar “para” as coisas, dê graças por aquilo que você já tem.
  • Quando a vida lhe dá toda a razão de ser negativo, pense em uma boa razão para ser positivo. Há sempre algo pelo qual ser grato.

5. A gratidão inclui tudo


  • Dias bons dão-lhe felicidade e dias ruins dão-lhe sabedoria. Ambos são essenciais.
  • Porque todas as coisas têm contribuído para o seu avanço, você deve incluir todas as coisas em sua gratidão. Isto é especialmente verdadeiro em seus relacionamentos. Nós nos encontramos com pessoas comuns em nossas vidas; mas se você lhes der uma chance, todas elas têm algo importante para lhe ensinar.

6. O que você tem para ser grato no presente, muda


  • Seja grato por tudo que você tem agora, porque nunca sabe o que acontecerá em seguida. O que você tem acabará por ser o que você tinha.
  • A vida muda a cada dia, e suas bênçãos irão gradualmente mudar junto com ela

7. A mente grata nunca toma coisas como garantidas


  • O que separa privilégio de benefício é a gratidão.
  • A circunstância (ou pessoa) que você toma por garantida hoje pode vir a ser a única da qual você precise amanhã.

8. Enquanto você expressa sua gratidão, não deve esquecer que a maior valorização não é simplesmente proferir palavras, mas vivê-las diariamente


  • O que mais importa não é o que você diz, mas como você vive.
  • Não basta dizer que, mostre. Não basta prometer, prove.

9. Gratidão inclui retribuição


  • Na agitação da vida cotidiana, quase não percebemos que recebemos muito mais do que damos, e a vida não pode ser rica sem essa gratidão.
  • É tão fácil superestimar a importância de nossas próprias conquistas em comparação com o que temos com o auxílio de outros.

10. A maior homenagem às pessoas e circunstâncias que você perdeu não é tristeza, mas a gratidão


  • Só porque alguma coisa não durou para sempre, não significa que não foi o maior presente que se possa imaginar.
  • Seja grato porque seus caminhos se cruzaram e por ter tido a oportunidade de experimentar algo maravilhoso.

11. Para ser verdadeiramente grato, você deve estar realmente presente


  • Conte as bênçãos em sua vida, e comece com a respiração você está realizando agora.
  • Muitas vezes esquecemos que o maior milagre não é andar sobre a água; o maior milagre é caminhar sobre a terra verde, habitando profundamente no momento presente, apreciando-o e sentindo-se completamente vivo.

12. Abandonar o controle multiplica o potencial de gratidão


  • Às vezes, investimos muita força para tentarmos controlar cada aspecto de nossas vidas que completamente nos perdemos no caminho.
  • Aprenda a deixar ir, relaxar um pouco e pegar o caminho que a vida leva até você às vezes. Tente algo novo, seja destemido, mas acima de tudo, faça o seu melhor e fique bem com isso. Abandonar expectativas desnecessárias permite que você realmente experimente o inesperado. E as maiores alegrias na vida são muitas vezes as surpresas inesperadas e oportunidades que você nunca preveu.

Pelo o que você é grato hoje?  Como a gratidão afeta a sua vida? Deixe um comentário abaixo e compartilhe seus pensamentos!


texto original: www.marcandangel.com
publicação e tradução: www,osegredo.com.br

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Médico japonês que atendeu até os 105 anos compartilha 12 de seus princípios para uma vida longa

Para um médico especialista em longevidade, nenhuma apresentação de suas capacidades profissionais pode ser melhor do que sua própria vida – e esse é somente um dos atributos que classificam o médico japonês Shigeaki Hinohara como o mestre e a grande inspiração que foi.

Falecido recentemente aos 105 anos e ainda trabalhando, tendo vivido sua longa vida com saúde mental e física impecáveis, Dr. Shigeaki deixou não só sua história de intensa dedicação a medicina e a cuidados mais humanos com seus pacientes, como algumas dicas concretas para vivermos uma vida boa e longeva como parte de seu legado.

Nascido em 1911, Hinohara se tornou um dos médicos a dedicar mais tempo à saúde e à felicidade de seus pacientes no mundo. E o termo “felicidade” aqui não é usado por acaso: o médico foi um pioneiro no trato mais pessoal e individual dos pacientes e, mesmo depois de sua morte, segue como inspiração para melhorarmos a qualidade de nossas vidas.

Não há dúvidas: de vida, Dr. Shigeaki entendia – e por isso, vale lembrar aqui suas 12 mais importantes dicas, retiradas de uma entrevista que o médico deu aos 97 anos.

1. Coma direito

“Todo mundo que vive uma longa vida, independentemente de nacionalidade, raça ou gênero, dividem uma coisa em comum: ninguém é acima do peso”.

2. Não pegue atalhos

“Para permanecer saudável, sempre suba de escadas e carregue suas próprias coisas. Eu subo de dois em dois degraus, para exercitar meus músculos”

3. Redescubra sua energia juvenil

“Energia vem de sentir-se bem, não de comer bem ou dormir muito. Todos nos lembramos quando éramos crianças e estávamos nos divertindo, como esquecíamos de comer ou dormir. Eu acredito que podemos manter essa atitude enquanto adultos. É melhor não cansar o corpo com regras demais como hora de comer e hora de dormir”.

4. Mantenha-se ocupado

“Sempre se planeje com antecedência. Minha agenda já está completa pelos próximos cinco anos, com palestras e meu trabalho usual, no hospital.”

5. Mantenha-se trabalhando

“Não há necessidade de se aposentar jamais, mas se for preciso, deve ser bem mais tarde do que aos 65 anos. Cinquenta anos atrás, haviam somente 125 japoneses com mais de 100 anos. Hoje, são mais de 36 mil”.

6. Siga contribuindo com a sociedade

“Depois de uma certa idade, devemos nos esforçar para contribuir com a sociedade. Desde os 65 anos que trabalho como voluntário. Eu ainda trabalho 18 horas, 7 dias por semana e amo cada minuto”.

7. Espalhe seu conhecimento

“Divida o que você sabe. Eu dou 150 palestras por ano, algumas para 100 crianças do ensino médio, outras para 4.500 empresários. Eu normalmente falo por uma hora, uma hora e meia, de pé, para permanecer forte”.

8. Entenda o valor de diferentes disciplinas

“A ciência sozinha não consegue curar ou ajudar as pessoas. A ciência nos trata a todos como uma coisa só, mas as doenças são individuais. Cada pessoa é única, e as doenças estão conectadas com seus corações. Para entender as doenças e ajudar as pessoas, precisamos de artes livres e visuais, não somente de medicina”.

9. Siga seus instintos

“Ao contrário do que se imagine, os médicos não conseguem curar tudo e todos. Então pra quê causar uma dor desnecessária com, por exemplo, uma cirurgia, em certos casos? Eu acho que a música e a terapia animal podem ajudar pessoas mais do que os médicos imaginam”

10. Resista ao materialismo

“Não enlouqueça pelo acúmulo de coisas materiais. Lembre-se: você não sabe quando será sua vez, e nós não levaremos nada daqui”.

11. Tenha modelos de vida e inspirações

“Encontre alguém que te inspire para procurar ir ainda mais longe. Meu pai veio para os EUA estudar em 1900, foi um pioneiro e um dos meus heróis. Mais tarde encontrei outros guias de vida, e quando me sinto paralisado, me pergunto como eles lidariam com o problema”.

12. Não subestime o poder da diversão

“A dor é algo misterioso, e divertir-se é a melhor maneira de esquecê-la. Se uma criança está com dor de dentes e você começa a brincar com ela, ela imediatamente esquece a dor. Hospitais precisam oferecer as necessidades básicas dos pacientes: nós todos queremos nos divertir. No St. Luke’s [hospital que dirigiu e trabalhou até o fim da vida] nós temos música, terapia animal e aulas de arte”.

Fonte: Hypeness

quinta-feira, 11 de maio de 2017

DEZ 10 REGRAS PARA VIVER BEM ATÉ OS CEM 100 ANOS - segundo japoneses

A maioria das pessoas sonham em ter uma vida longa e com saúde. Qualidade de vida é outra coisa que almejamos, assim como mais tempo para dedicarmos à nossa família e amigos. Por estes motivos, o cuidado com o corpo e com o estilo e vida tem sido assuntos cada vez mais abordados pela mídia e cada vez mais presentes nas conversas do dia a dia.

No Japão, mais precisamente em Okinawa, há um pequeno povoado chamado Ogimi 大宜味村, conhecido pelo grande número de centenários. A fim de desvendar os segredos desses habitantes tão longevos, os espanhóis Héctor García e Francesc Miralles foram até a aldeia e essa experiência foi registrada no livro “Ikigai – Viva Bem Até aos Cem”.

No livro, os espanhóis contam os segredos que descobriram junto aos anciãos da aldeia. Afinal, qual é a receita milagrosa para que os moradores de Ogimi tenham uma vida tão longa, saudável e feliz? O ikigai (生き甲斐), com certeza faz parte dessa receita e consiste em ter uma “razão para viver” ou “um motivo para se levantar todos os dias de manhã”.



Mas claro que esse não é o único segredinho da longevidade dos anciãos de Ogimi. A boa alimentação e o estilo de vida também estão na lista. Confira 10 dicas:

1. Mantenha-se ativo

Até que a saúde os permita, os japoneses continuam trabalhando em atividades que lhes façam bem e tragam conforto. “Quem abandona as coisas que ama e sabe fazer, perde o sentido da vida”, escrevem os autores. O fim da vida laboral “oficial” não deve travar-nos de “fazer coisas que tenham valor”, “se dedicar a um hobby” e “dando forma ao nosso pequeno mundo”.

2. A calma deve imperar

O estresse é uma das maiores causas do envelhecimento. Em Okinawa, as pessoas sabem organizar seu tempo de forma eficiente e com isso costumam levar uma vida sossegada. A pressa, segundo García e Miralles, é “inversamente proporcional à qualidade de vida”. “Quando deixamos para trás as urgências, o tempo e a vida ganham um novo significado”.

3. Não coma até ficar cheio

As refeições dos habitantes da Vila de Ogimi são ricas em peixe, legumes, tofu, batata-doce, etc. Além da alimentação saudável e do baixo consumo de sal, há outro fator que contribui para a boa saúde deles: O hábito de parar de comer quando estão 80% satisfeitos. Segundo estudos, o cérebro demora 20 minutos registrar que o estômago está cheio.

Além de pararem antes de estarem completamente saciados, os japoneses costumam comer em pequenos pratos para evitar excessos na alimentação. Com isso, o corpo não sofrerá tanto desgaste para digerir tanta comida e nem estaremos ingerindo calorias em excesso a cada refeição que é o que acaba acontecendo quando comemos movidos pelo impulso.

4. Tenha bons amigos

Amigos verdadeiros são as melhores coisas que podemos ter na vida. São como um remédio que nos ajudam a esquecer as preocupações e nos apoiam nos momentos mais conturbados das nossas vidas. Ao lado deles, podemos “contar e ouvir histórias que nos façam sorrir, pedir conselhos, nos divertir juntos, compartilhar sonhos, … enfim, viver”.

No Japão, as comunidades criam associações para que os habitantes estejam mais próximos uns dos outros e possam praticar atividades juntos, criando um forte vínculo de amizade e cooperação entre eles. O sentimento de segurança que a amizade proporciona, contribui para uma maior satisfação pela vida e evita doenças tais como a depressão.

5. Esteja próximo da natureza

“Fomos feitos para nos fundirmos com a natureza”, garantem os dois autores. E precisamos estar em contato com ela regularmente, a fim de recarregar as “baterias”. Pra você ter uma ideia, existe até uma terapia muito famosa no Japão chamada Shinrin-yoku (森林浴), que consiste em um “banho de floresta” para relaxar e repor as energias vitais.

Boa parte dos japoneses também gostam de cultivar hortaliças e flores no seu quintal e esse hábito ajuda a ocupar a mente e ajuda também a fortalecer esse vínculo com a natureza.

6. Sorria

 O sorriso é uma arma poderosa, capaz de desarmar até os nossos piores inimigos. Manter o sorriso constante nos lábios também nos ajuda a estabelecer relacionamentos mais amistosos e nos incentiva a encarar a vida de uma forma mais relaxada e feliz.



Maemuki é uma expressão japonesa que significa olhar para frente, ser positivo em relação a tudo que acontece a nossa volta. Mesmo nos momentos mais obscuros, é importante não esquecer que a vida está sempre em constante mudança. Não há mal que dure para sempre, não há tristeza que não finde. Por isso, procure celebrar cada minuto da sua vida.

7. Faça exercícios físicos

Desde a mais tenra idade, os japoneses são incentivados a praticar atividades físicas nas escolas e esse hábito se estende até a vida adulta e terceira idade. Como sabemos, o exercício físico proporciona qualidade de vida e é importante para manter a saúde do corpo, além de ajuda-lo a produzir hormônios que trazem sensação de bem estar e felicidade.

O uso da bicicleta na vida cotidiana, as caminhadas pelos parques e as reuniões nas comunidades para a limpeza do bairro, eventos recreativos, ou ainda para a famosa ginástica matinal, o radio taiso, ajudam a preparar o corpo para mais uma nova jornada.

8. Seja grato pelo que tem

Além do costumeiro agradecimento antes e depois das refeições, os habitantes de Okinawa sabem da importância de “ser grato”. Por isso, costumam reservar um momento do dia para para agradecer as bençãos que recebem. “Ter consciência da inconstância das coisas não deve nos entristecer, mas nos ajudar a amar o presente e as pessoas que nos rodeiam”.

“Dedique um momento do dia para agradecer e a sua felicidade aumentará”. Mas a que ou a quem devemos agradecer? Aos antepassados, à natureza, à família, aos amigos, ou seja “a tudo que ilumina o seu dia e que faz você sentir-se feliz por estar vivo”.

9. Viva o momento

No Japão, existe um provérbio que diz assim: “Ashita wa ashita, kyo wa kyou” (明日は明日, 今日は今日), ou seja, “Amanhã é amanhã, hoje é hoje”. Esse provérbio já explica tudo. Precisamos viver um dia de cada vez. Sem nos dar conta, acabamos deixando de viver muita coisa legal sempre que nossa atenção se volta inteiramente para o passado ou para o futuro”.

Viver o momento presente com intensidade, nos permitindo experimentar coisas novas sempre que possível, deve ser prioridade em nossas vidas. Agindo assim, nos ajudará a levar a vida sem tanto estresse, além de evitar que nossa vida caia na rotina, na mesmice.

10. Siga o seu ikigai

Ter uma razão para sair da cama todas as manhãs é indispensável para sermos felizes. Dar um sentido à nossa vida nos dá motivação pra continuar vivendo com alegria e intensidade, mesmo após aposentar-se. Busque um hobby, uma ocupação que faça fluir sua criatividade. Todas as pessoas tem dentro de si, uma paixão, um talento que pode e deve ser explorado.

Se você ainda não encontrou, não se preocupe. Nunca é tarde para buscar essa motivação dentro de si. Mas para isso acontecer é preciso olhar profundamente para dentro de si mesmo. Só assim conseguirá encontrar o seu Ikigai, ou seja, o seu propósito de vida.

Confira o vídeo com o tema:




Fonte: Japão em foco, apud, Renascença

sábado, 29 de abril de 2017

COISAS QUE A VIDA ENSINA DEPOIS DOS 40

Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigado, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que abrem portas para uma vida melhor.
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções, destrói preconceitos, cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente...

fonte: de: Artur da Távola, em: Blocos On-Line